Advogado de inventário: saiba mais sobre esse serviço

Advogado de inventário: saiba mais sobre esse serviço

03 Ago

Você precisa de um advogado de inventário, mas não sabe como funciona esse tipo de serviço? Por mais que o óbito de alguém que amamos seja uma situação extremamente difícil, nem sempre podemos nos dar ao luxo de lidar apenas com o nosso luto. Afinal, existem questões jurídicas e até mesmo burocráticas que precisam ser resolvidas após o falecimento.

 

Porém, essa situação não precisa ser um fardo ainda maior do que aquele que você já está carregando. A contratação de um profissional especializado pode facilitar todo o processo e evitar maiores desconfortos para você e a sua família. Mas, para ter a certeza de que você optou pelo advogado certo e não vai se sentir perdido em relação ao inventário, é preciso também entender melhor como ele funciona e quais são os seus direitos.

 

 

O que é inventário?

 

O inventário é o instrumento que dá início ao processo de partilha de bens e patrimônio deixado pela pessoa que veio a óbito. Essas posses materiais e os bens do falecido recebem o nome de espólio, conceito que aborda todo o seu patrimônio. Nesse caso, incluem-se itens como:

 

  • Seus imóveis;
  • Quantias monetárias;
  • Automóveis;
  • Posses pessoais e mais.

 

Além disso, as dívidas do falecido também integram o espólio, que deve ser transferido como uma universalidade para os sucessores do falecido. Esse ramo da advocacia é conhecido como Direitos das Sucessões.

 

O inventário também é um instrumento importante para identificar quem são as pessoas de, de fato, têm direito à partilha de bens. Logo, o advogado verifica quem são os sucessores do falecido, supervisiona a quitação de dívidas e a divisão do patrimônio efetivamente. Vale ressaltar que, durante o andamento do inventário, os bens do falecido não podem ser vendidos ou negociados, já que a partilha não foi finalizada.

 

O inventário pode acontecer de forma judicial ou extrajudicial.

 

Inventário judicial

 

Neste primeiro caso, o advogado de inventário orienta as partes envolvidas a buscar o Poder Judiciário. Dessa forma, a ação culmina na partilha dos bens com todo o apoio jurídico que pode ser prestado, envolvendo as autoridades competentes. Para tal, o advogado deve apresentar uma petição ao juiz, descrevendo o espólio e os sucessores legais do falecido para dar início à divisão. 

 

O art. 983 do Código de Processo Civil determina que o procedimento deve ser encerrado nos 12 meses subsequentes à entrada do pedido, podendo ser prorrogados por iniciativa do juiz ou a requerimento das partes.

 

Inventário extrajudicial

 

Já o inventário extrajudicial foi criado pela Lei 11.441/2007 e permite que o procedimento seja feito em cartório, sem a intervenção do Poder Judiciário. A vantagem dessa modalidade é a redução de custos advocatícios para as partes envolvidas.

 

Para seguir o inventário extrajudicial, são considerados os seguintes requisitos:

 

  • Deve existir um acordo amigável entre os sucessores indicados para a divisão de bens;
  • Todos os sucessores devem ser capazes civilmente (maiores de 18 anos) e;
  • Não pode existir um testamento.

 

Com o cumprimento de todos os requisitos, o inventário pode ser iniciado e formalizado no Cartório de Registro de Notas.

 

 

O que faz um advogado de inventário?

 

Como já foi mencionado acima, o advogado que trabalha com o inventário atua no ramo da advocacia conhecido como Direitos da Sucessão. Desta forma, ele pode fazer toda a diferença não apenas na partilha de bens, mas também no cumprimento do testamento e na firmação de acordos entre os sucessores.

 

Este profissional vai oferecer toda a orientação jurídica necessária no momento de fragilidade, além de compilar os documentos que são imprescindíveis para o andamento do inventário. Sendo seu objetivo principal a defesa dos interesses de seu cliente, ele também atua como um mediador de conflitos e um facilitador dos processos jurídicos e burocráticos após o falecimento.

 

 

Quanto custa o advogado de inventário?

 

Sabemos que os custos com o falecimento podem ser bastante altos e, nem sempre, os parentes do falecido estão com toda a disposição necessária para lidar com as questões orçamentárias, já que o luto ainda é muito recente. Por esse motivo, trabalhamos com toda a empatia e inteligência emocional que este momento de vulnerabilidade exige, agindo como facilitadores do processo.

 

O custo do inventário pode variar de acordo com cada caso e cliente, mas vai sempre obedecer os valores mínimos e máximos previstos pela regulamentação da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). A tabela do seu município pode ser consultada para que você tenha uma ideia melhor do valor.

 

Antes de elaborar o orçamento, o advogado vai agendar uma consulta inicial com todas as partes envolvidas para reunir as informações necessárias. Então, será feita a cobrança considerando o melhor custo x benefício para o cliente, garantindo a prestação de um excelente serviço sem maiores dores de cabeça.

 

Quer saber mais? Então entre em contato agora mesmo e contrate o seu advogado de inventário para ajudá-lo da melhor forma possível. Até breve!

 

Possui
alguma dúvida?


E-mail
contato@brunojussiani.adv.br

Endereço
Rua Jamil Felix Naglis, nº 493
Vila Nascente, Campo Grande - MS

Ver no google maps

Rua Barão de Melgaço, nº 3916
Centro Norte, Cuiabá - MT

Ver no google maps

Bruno Jussiani Advocacia

Bruno Jussiani com sede em Campo Grande desde 2009, tem atuação preponderante no Mato Grosso do Sul, não obstante podendo atender clientes em todo Brasil.

Desenvolvido por SunsetWeb - 2021

Fale com o atendimento

Clique para chamar