Advogado de recuperação judicial: quando é o momento de contratar?

Advogado de recuperação judicial: quando é o momento de contratar?

26 Jul

O advogado de recuperação judicial é cada vez mais requisitado no Brasil. Afinal, com os tempos de incerteza, como é o caso de crises políticas e econômicas e até mesmo a pandemia, muitas empresas tiveram dificuldades de balancear o caixa de seu negócio e manter as atividades neste cenário desfavorável.

 

Sendo assim, a recuperação judicial começou a ser um conceito parte do cotidiano desses negócios. Porém, nem todos os gestores sabem exatamente o que significa esse termo e quais são os seus direitos quando é preciso fazer o pedido.

 

Justamente por isso, o apoio de um profissional especializado no segmento pode fazer toda a diferença na condução do seu processo.

 

 

O que é recuperação judicial?

 

Segundo a Lei 11.101 de 09 de fevereiro de 2005, em seu artigo 47, a recuperação judicial segue a finalidade de permitir a superação da crise econômico-financeira do devedor, a fim de permitir a manutenção da fonte produtora, do emprego dos trabalhadores e dos interesses dos credores. Assim, consegue-se a preservação da empresa, sua função social e o estímulo à atividade econômica.

 

Em suma, a recuperação judicial é uma providência que pode ser tomada dentro dos termos da lei para que a empresa não precise decretar falência. Sua necessidade se faz presente quando a empresa se encontra em um estado de dívidas, geralmente feitas para adquirir insumos e equipamentos para a fabricação de produtos ou fornecimento de serviços.

 

Além disso, contratos com fornecedores e outros gastos podem criar um endividamento maior para a empresa. Logo, se a organização não consegue, por qualquer motivo, cumprir com o pagamento, ela pode fazer o pedido de recuperação judicial perante a justiça.

 

Vale ressaltar que, mesmo que a empresa se encontre sob o título de inadimplente, ela deve se enquadrar no que descreve a Lei 11.101/205, Lei de Recuperação e Falências.

 

Não é possível solicitar a recuperação judicial nos seguintes casos:

  • Não ser falido e, se o foi, estejam declaradas extintas, por sentença transitada em julgado, as responsabilidades daí decorrentes;
  • Não ter, há menos de 5 (cinco) anos, obtida concessão de recuperação judicial com base no plano especial;
  • Não ter sido condenado ou não ter, como administrador ou sócio controlador, pessoa condenada por qualquer dos crimes previstos na lei de Recuperação e Falência)
  • Empresa pública e sociedade de economia mista;
  • Instituição financeira pública ou privada;
  • Cooperativa de crédito;
  • Consórcio;
  • Entidade de previdência complementar;
  • Sociedade operadora de plano de assistência à saúde;
  • Sociedade seguradora; e
  • Sociedade de capitalização e outras entidades legalmente equiparadas às anteriores.

 

Caso você não se enquadre nos casos descritos acima, a recuperação judicial pode ser a solução para o seu negócio.

 

 

O que faz o advogado de recuperação judicial?

 

Muitas vezes especialista em Direito Empresarial, este profissional é responsável por auxiliar o seu cliente em todas as etapas de um processo de solicitação de recuperação judicial. Assim que contratado, o profissional fará o requerimento para a justiça e preparará o processo, relatando todas as informações importantes para o juiz responsável.

 

Para isso, ele pode exigir alguns documentos que ajudem a montar o caso, destacando-se:

  • Demonstrações contábeis de diversas naturezas;
  • Relação de bens da empresa e também dos sócios envolvidos;
  • Extratos bancários da conta jurídica e;
  • Relação nominal dos credores.

 

Com a aprovação do processo, a empresa tem um prazo de 60 dias para apresentar seu plano de recuperação. Caso a documentação não seja apresentada, o juiz pode decretar a falência da requerente.

 

Em contrapartida, com a apresentação do plano de recuperação, o juiz repassa o mesmo para os credores da empresa. Por sua vez, eles têm o prazo de 180 dias para se manifestarem favoráveis ou não ao plano.

 

Durante todo este processo, o advogado de recuperação judicial vai manter o seu cliente informado e oferecer toda a assessoria necessária para facilitar o seu aceite. Com isso, será muito mais fácil reestabelecer o caixa da sua empresa e voltar a investir no seu negócio, sem que você corra risco de ser obrigado a decretar falência.

 

 

Quanto custa um advogado de recuperação judicial?

 

A empresa que se encontra nesta situação de vulnerabilidade também se sente receosa em relação aos custos com o escritório de advocacia. A boa notícia é que o advogado especialista vai sempre oferecer o melhor custo x benefício para o seu cliente, pensando em seu bem-estar e na defesa de seus interesses particulares.

 

Porém, o profissional deve respeitar também o valor mínimo de cobrança pelo serviço, descrito em tabela elaborada pela OAB – Ordem dos Advogados do Brasil. Caso você queira ter uma ideia melhor da faixa de preço estipulada, vale a pena consultar a tabela de seu município.

 

Agora que você já tem todas as informações em mãos, chegou a hora de contratar um advogado de recuperação judicial. Entre em contato agora mesmo para que nosso time possa ajudar você e a sua empresa. Até breve!

Possui
alguma dúvida?


E-mail
contato@brunojussiani.adv.br

Endereço
Rua Jamil Felix Naglis, nº 493
Vila Nascente, Campo Grande - MS

Ver no google maps

Rua Barão de Melgaço, nº 3916
Centro Norte, Cuiabá - MT

Ver no google maps

Bruno Jussiani Advocacia

Bruno Jussiani com sede em Campo Grande desde 2009, tem atuação preponderante no Mato Grosso do Sul, não obstante podendo atender clientes em todo Brasil.

Desenvolvido por SunsetWeb - 2021

Fale com o atendimento

Clique para chamar